Aires de Libertad

¿Quieres reaccionar a este mensaje? Regístrate en el foro con unos pocos clics o inicia sesión para continuar.

https://www.airesdelibertad.com

Leer, responder, comentar, asegura la integridad del espacio que compartes, gracias por elegirnos y participar

Estadísticas

Nuestros miembros han publicado un total de 1042797 mensajes en 47669 argumentos.

Tenemos 1573 miembros registrados

El último usuario registrado es miriamdamaris21

¿Quién está en línea?

En total hay 48 usuarios en línea: 2 Registrados, 0 Ocultos y 46 Invitados :: 2 Motores de búsqueda

Lluvia Abril, Pascual Lopez Sanchez


El record de usuarios en línea fue de 1156 durante el Mar 05 Dic 2023, 16:39

Últimos temas

» ELVIO ROMERO (1926-2004)
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyHoy a las 00:46 por Lluvia Abril

» ANTOLOGÍA DE GRANDES POETAS HISPANOAMÉRICANAS
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyHoy a las 00:39 por Lluvia Abril

» POESÍA SOCIAL XIX
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyHoy a las 00:26 por Lluvia Abril

» POESÍA INUI (Esquimal) // OTROS PUEBLOAS NATIVOS
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 23:56 por Lluvia Abril

» DIARIO DE EL CHE.
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 22:27 por Siby

» POETAS LATINOAMERICANOS
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 18:27 por Maria Lua

» CLARICE LISPECTOR II
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 18:14 por Maria Lua

» Rabindranath Tagore (1861-1941)
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 18:13 por Maria Lua

» MARIO QUINTANA ( Brasil: 30/07/1906 -05/05/1994)
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 18:09 por Maria Lua

» CECILIA MEIRELES
AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 EmptyAyer a las 18:06 por Maria Lua

Mayo 2024

LunMarMiérJueVieSábDom
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Calendario Calendario

Conectarse

Recuperar mi contraseña

Galería


AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty

3 participantes

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Dom 03 Dic 2023, 08:06

    “OS DESAPARECIDOS"

    De repente, naqueles dias, começaram
    a desaparecer pessoas, estranhamente.
    Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
    naqueles dias.

    Ia-se colher a flor oferta
    e se esvanecia.
    Eclipsava-se entre um endereço e outro
    ou no táxi que se ia.
    Culpado ou não, sumia-se
    ao regressar do escritório ou da orgia.
    Entre um trago de conhaque
    e um aceno de mão, o bebedor sumia.
    Evaporava o pai
    ao encontro da filha que não via.
    Mães segurando filhos e compras,
    gestantes com tricô ou grupos de estudantes
    desapareciam.
    Desapareciam amantes em pleno beijo
    e médicos em meio à cirurgia.
    Mecânicos se diluíam
    - mal ligavam o torno do dia.

    Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
    naqueles dias.
    Desaparecia-se a olhos vistos
    e não era miopia. Desaparecia-se
    até a primeira vista. Bastava
    que alguém visse um desaparecido
    e o desaparecido desaparecia.
    Desaparecia o mais conspícuo
    e o mais obscuro sumia.
    Até deputados e presidentes esvaneciam.
    Sacerdotes, igualmente, levitando
    iam, arefeitos, constatar no além,
    como os pescadores partiam.

    Desaparecia-se. Desaparecia-se muito
    naqueles dias.
    Os atores no palco
    entre um gesto e outro, e os da platéia
    enquanto riam.
    Não, não era fácil ser poeta naqueles dias.
    Porque os poetas, sobretudo
    - desapareciam.

    Se fosse ao tempo da Bíblia, eu diria
    que carros de fogo arrebatavam os mais puros
    em mística euforia. Não era. É ironia.
    E os que estavam perto, em pânico, fingiam
    que não viam. Se abstraíam.
    Continuavam seu baralho a conversar demências
    com o ausente, como se ele estivesse ali sorrindo
    com suas roupas e dentes.

    Em toda família à mesa havia
    uma cadeira vazia, a qual se dirigiam.
    Servia-se comida fria ao extinguido parente
    e isto alimentava ficções
    - nas salas e mentes
    enquanto no palácio, remorsos vivos boiavam
    - na sopa do presidente.

    As flores olhando a cena, não compreendiam.
    Indagavam dos pássaros, que emudeciam.
    As janelas das casas, mal podiam crer
    - no que viam.
    As pedras, no entanto,
    gravavam os nomes dos fantasmas
    pois sabiam que quando chegasse a hora
    por serem pedras, falariam.

    O desaparecido é como um rio:
    - se tem nascente, tem foz.
    Se teve corpo, tem ou terá voz.
    Não há verme que em sua fome
    roa totalmente um nome. O nome
    habita as vísceras da fera
    Como a vítima corrói o algoz.

    E surgiam sinais precisos
    de que os desaparecidos, cansados
    de desaparecerem vivos
    iam aparecer mesmo mortos
    florescendo com seus corpos
    a primavera de ossos.

    Brotavam troncos de árvores,
    rios, insetos e nuvens em cujo porte se viam
    vestígios dos que sumiam.

    Os desaparecidos, enfim,
    amadureciam sua morte.

    Desponta um dia uma tíbia
    na crosta fria dos dias
    e no subsolo da história
    - coberto por duras botas,
    faz-se amarga arqueologia.

    A natureza, como a história,
    segrega memória e vida
    e cedo ou tarde desova
    a verdade sobre a aurora.

    Não há cova funda
    que sepulte
    - a rasa covardia.
    Não há túmulo que oculte
    os frutos da rebeldia.

    Cai um dia em desgraça
    a mais torpe ditadura
    quando os vivos saem à praça
    e os mortos da sepultura.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 06 Dic 2023, 17:24



    LA INTRUSA



    Ella quería entrar a la fuerza en mi poema.

    Primero, metió la pierna

    con el muslo expuesto.

    (El poema resistiendo.)

    Después las uñas pintadas.

    Cuando abrió la boca para el beso

    saqué todas las bilabiales del texto.

    Restaron sus largos cabellos

    cubriéndome una estrofa entera.

    Pero esto lo verán tan sólo

    quienes sepan leer palimpsestos.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Sáb 16 Dic 2023, 06:58


    Não amo
    melhor
    nem pior
    do que ninguém.

    Do meu jeito amo.
    Ora esquisito, ora fogoso,
    às vezes aflito
    ou ensandecido de gozo.
    Já amei
    até com nojo.

    Coisas fabulosas
    acontecem-me no leito. Nem sempre
    de mim dependem, confesso.
    O corpo do outro
    é que é sempre surpreendente.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:13

    Amar a Morte

    Amar de peito aberto a morte.
    Não de esguelha, de frente.
    Amar a morte,
    digamos,
    despudoradamente.

    Amá-la como se ama
    uma bela mulher
    e inteligente.Amá-la
    diariamente
    sabendo que por mais
    que a amemos
    ela se deitará
    com uns e outros
    indiferente.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:13

    Silêncio Amoroso – 2

    Preciso do teu silêncio
    cúmplice
    sobre minhas falhas.
    Não fale.
    Um sopro, a menor vogal
    pode me desamparar.
    E se eu abrir a boca
    minha alma vai rachar.
    O silêncio, aprendo,
    pode construir. É um modo
    denso/tenso
    – de coexistir.
    Calar, às vezes,
    é fina forma de amar


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:13

    Despedidas

    Começo a olhar as coisas
    como quem, se despedindo, se surpreende
    com a singularidade
    que cada coisa tem
    de ser e estar.
    Um beija-flor no entardecer desta montanha
    a meio metro de mim, tão íntimo,
    essas flores às quatro horas da tarde, tão cúmplices,
    a umidade da grama na sola dos pés, as estrelas
    daqui a pouco, que intimidade tenho com as estrelas
    quanto mais habito a noite!
    Nada mais é gratuito, tudo é ritual
    Começo a amar as coisas
    com o desprendimento que só têm os que amando tudo o que perderam
    já não mentem.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:14

    Limites do Amor

    Condenado estou a te amar
    nos meus limites
    até que exausta e mais querendo
    um amor total, livre das cercas,
    te despeça de mim, sofrida,
    na direção de outro amor
    que pensas ser total e total será
    nos seus limites da vida.

    O amor não se mede
    pela liberdade de se expor nas praças
    e bares, sem empecilho.
    É claro que isto é bom e, às vezes,
    sublime.
    Mas se ama também de outra forma, incerta,
    e este o mistério:

    – ilimitado o amor às vezes se limita,
    proibido é que o amor às vezes se liberta.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:14

    Cena Familiar

    Densa e doce paz na semiluz da sala.
    Na poltrona, enroscada e absorta, uma filha
    desenha patos e flores.
    Sobre o couro, no chão, a outra viaja silenciosa
    nas artimanhas do espião.
    Ao pé da lareira a mulher se ilumina numa gravura
    flamenga, desenhando, bordando pontos de paz.
    Da mesa as contemplo e anoto a felicidade
    que transborda da moldura do poema.
    A sopa fumegante sobre a mesa, vinhos e queijos,
    relembranças de viagens e a lareira acesa.
    Esta casa na neblina, ancorada entre pinheiros,
    é uma nave iluminada.
    Um oboé de Mozart torna densa a eternidade


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:15

    Fascínio

    Casado, continuo a achar as mulheres irresistíveis.
    Não deveria, dizem.
    Me esforço. Aliás,
    já nem me esforço.
    Abertamente me ponho a admirá-las.
    Não estrou traindo ninguém, advirto.
    Como pode o amor trair o amor?
    Amar o amor num outro amor
    é um ritual que, amante, me permito.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:15

    Reflexivo

    O que não escrevi, calou-me.
    O que não fiz, partiu-me.
    O que não senti, doeu-se.
    O que não vivi, morreu-se.
    O que adiei, adeus-se.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:16

    Separação

    Desmontar a casa
    e o amor. Despregar
    os sentimentos das paredes e lençóis.
    Recolher as cortinas
    após a tempestade
    das conversas.
    O amor não resistiu
    às balas, pragas, flores
    e corpos de intermeio.

    Empilhar livros, quadros,
    discos e remorsos.
    Esperar o infernal
    juizo final do desamor.

    Vizinhos se assustam de manhã
    ante os destroços junto à porta:
    -pareciam se amar tanto!

    Houve um tempo:
    uma casa de campo,
    fotos em Veneza,
    um tempo em que sorridente
    o amor aglutinava festas e jantares.

    Amou-se um certo modo de despir-se
    de pentear-se.
    Amou-se um sorriso e um certo
    modo de botar a mesa. Amou-se
    um certo modo de amar.

    No entanto, o amor bate em retirada
    com suas roupas amassadas, tropas de insultos
    malas desesperadas, soluços embargados.

    Faltou amor no amor?
    Gastou-se o amor no amor?
    Fartou-se o amor?

    No quarto dos filhos
    outra derrota à vista:
    bonecos e brinquedos pendem
    numa colagem de afetos natimortos.

    O amor ruiu e tem pressa de ir embora
    envergonhado.

    Erguerá outra casa, o amor?
    Escolherá objetos, morará na praia?
    Viajará na neve e na neblina?

    Tonto, perplexo, sem rumo
    um corpo sai porta afora
    com pedaços de passado na cabeça
    e um impreciso futuro.
    No peito o coração pesa
    mais que uma mala de chumbo.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:16

    Chegando em Casa

    Chegando em casa
    com a alma amarfanhada
    e escura
    das refregas burocráticas
    leio sobre a mesa
    um bilhete que dizia:

    – hoje 22 de agosto de 1994
    meu marido perdeu, deste terraço:

    mais um pôr de sol no Dois Irmãos
    o canto de um bem-te-vi
    e uma orquídea que entardecia
    sobre o mar.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 20 Dic 2023, 08:17

    Amor e Medo

    Estou te amando e não percebo,
    porque, certo, tenho medo.
    Estou te amando, sim, concedo,
    mas te amando tanto
    que nem a mim mesmo
    revelo este segredo.






    https://poemassemerros.wordpress.com/affonso-romano-de-santanna-poemas/


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:06

    O Duplo

    Debaixo de minha mesa
    tem sempre um cão faminto
    -que me alimenta a tristeza.
    Debaixo de minha cama
    tem sempre um fantasma vivo
    -que perturba quem me ama.

    Debaixo de minha pele
    alguém me olha esquisito
    -pensando que eu sou ele.

    Debaixo de minha escrita
    há sangue em lugar de tinta
    -e alguém calado que grita.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:06

    Carta aos Mortos

    Amigos, nada mudou
    em essência.
    Os salários mal dão para os gastos,
    as guerras não terminaram
    e há vírus novos e terríveis,
    embora o avanço da medicina.
    Volta e meia um vizinho
    tomba morto por questão de amor.
    Há filmes interessantes, é verdade,
    e como sempre, mulheres portentosas
    nos seduzem com suas bocas e pernas,
    mas em matéria de amor
    não inventamos nenhuma posição nova.
    Alguns cosmonautas ficam no espaço
    seis meses ou mais, testando a engrenagem
    e a solidão.
    Em cada olimpíada há récordes previstos
    e nos países, avanços e recuos sociais.
    Mas nenhum pássaro mudou seu canto
    com a modernidade.

    Reencenamos as mesmas tragédias gregas,
    relemos o Quixote, e a primavera
    chega pontualmente cada ano.

    Alguns hábitos, rios e florestas
    se perderam.
    Ninguém mais coloca cadeiras na calçada
    ou toma a fresca da tarde,
    mas temos máquinas velocíssimas
    que nos dispensam de pensar.

    Sobre o desaparecimento dos dinossauros
    e a formação das galáxias
    não avançamos nada.
    Roupas vão e voltam com as modas.
    Governos fortes caem, outros se levantam,
    países se dividem
    e as formigas e abelhas continuam
    fiéis ao seu trabalho.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:07

    Nada mudou em essência.

    Cantamos parabéns nas festas,
    discutimos futebol na esquina
    morremos em estúpidos desastres
    e volta e meia
    um de nós olha o céu quando estrelado
    com o mesmo pasmo das cavernas.
    E cada geração , insolente,
    continua a achar
    que vive no ápice da história.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:07

    Fascínio

    Casado, continuo a achar as mulheres irresistíveis.
    Não deveria, dizem.
    Me esforço. Aliás,
    já nem me esforço.
    Abertamente me ponho a admirá-las.
    Não estou traindo ninguém, advirto.
    Como pode o amor trair o amor?
    Amar o amor num outro amor
    é um ritual que, amante, me permito.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:08

    Amar a Morte

    Amar de peito aberto a morte.
    Não de esguelha, de frente.
    Amar a morte,
    digamos,
    despudoradamente.
    Amá-la como se ama
    uma bela mulher
    e inteligente.Amá-la
    diariamente
    sabendo que por mais
    que a amemos
    ela se deitará
    com uns e outros
    indiferente.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:08

    Poemas para a Amiga

    (Fragmento 1)

    “O amor com seus contrários se acrescenta”
    Camões

    Tu sempre foste una
    e sempre foste minha,
    ainda quando a cor e a forma tua se fundiam
    com outra forma e cor que tu não tinhas.
    Por isto é que te falo de umas coisas
    que não lembras
    nem nunca lembrarias
    de tais coisas entre mim e ti
    ainda quando tu não me sabias
    e dividida em outras te mostravas
    e assim dispersa me ouvias.

    Tu sempre foste uma
    ainda quando o corpo teu
    com outro corpo a sós se punha,
    pois o que me tinhas a dar
    a outro nunca o deste
    e nunca o doarias.

    Por isto é que te sinto
    com tanta intimidade
    e te possuo com tanta singeleza
    desde quando recém vinda
    ostentavas nos teus olhos grande espanto
    de quem não compreendia
    a antiguidade desse amor que em mim fluía.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:09

    Poemas para a Amiga
    (Fragmento 2)

    Eu sei quando te amo:
    é quando com teu corpo eu me confundo,
    não apenas nesta mistura de massa e forma,
    mas quando na tua alma eu me introduzo
    e sinto que meu sangue corre em ti,
    e tudo que é teu corpo
    não é que um corpo meu
    que se alongou de mim.
    Eu sei quando te amo:
    é quando eu te apalpo e não te sinto,
    e sinto que a mim mesmo então me abraço,
    a mim
    que amo e sou um duplo,
    eu mesmo
    e o corpo teu pulsando em mim.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:09

    Poemas para a Amiga

    (Fragmento 3)

    É tão natural
    que eu te possua
    é tão natural que tu me tenhas,
    que eu não me compreendo
    um tempo houvesse
    em que eu não te possuísse
    ou possa haver um outro
    em que eu não te tomaria.
    Venhas como venhas,
    é tão natural que a vida
    em nossos corpos se conflua,
    que eu já não me consinto
    que de mim tu te abstenhas
    ou que meu corpo te recuse
    venhas quando venhas.

    E de ser tão natural
    que eu me extasie
    ao contemplar-te,
    e de ser tão natural
    que eu te possua,
    em mim já não há como extasiar-me
    tanto a minha forma
    se integrou na forma tua.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 03 Ene 2024, 11:10

    Balada dos Casais

    Os casais são tão iguais,
    por isto se casam
    e anunciam nos jornais.
    Os casais são tão iguais,
    por isto se beijam
    fazem filhos, se separam
    prometendo
    não se casarem jamais.
    Os casais são tão iguais,
    que além de trocar fraldas,
    tirar fotos, acabam se tornando
    avós e pais.
    Os casais são tão iguais,
    que se amam e se insultam
    e se matam na realidade
    e nos filmes policiais.
    Os casais são tão iguais,
    que embora jurem um ao outro
    amor eterno
    sempre querem mais.



    https://letraselivros.com.br/livro/affonso/


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Dom 07 Ene 2024, 16:07

    O Leitor e a Poesia


    Poesia
    não é o que o autor nomeia,
    é o que o leitor incendeia.

    Não é o que o autor pavoneia,
    é o que o leitor colhe à colmeia.

    Não é o ouro na veia,
    é o que vem na bateia.

    Poesia
    não é o que o autor dá na ceia,
    mas o que o leitor banqueteia.





    Affonso Romano de Sant´Anna. Melhores poemas. 3. ed. Seleção de
    Donaldo Schuler. São Paulo: Global, 1997. p. 150.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Dom 14 Ene 2024, 09:19

    Negra
    noite
    oculta
    a fala
    Negro
    corpo
    oculta
    a bala
    Negro
    forro
    é negro
    morto.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Dom 14 Ene 2024, 09:20

    Outubro
    ou nada
    ou tudo
    ou sangue
    outubro
    ou tumba
    outubro
    ou pão
    outubro
    ou túnel
    de emoção.
    [...]
    Quando outubro
    caso saibas
    ou não saibas, general,
    o homem
    que não vês
    já tem na mão
    a arma
    que ele fez.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Dom 21 Ene 2024, 11:53

    Catar palavras cortantes
    no rio do escuro instante
    e descobrir nessas pedras
    o brilho do diamante.

    É um quebra-cabeça?
    Então
    de cabeça quebrada vamos
    sobre a parede do nada
    deixar gravada a emoção


    ****************


    Recoger palabras cortantes
    en el río del oscuro instante
    y descubrir en esas piedras
    el brillo del diamante.

    ¿Es un rompecabezas?
    Entonces
    con la cabeza rota vámonos
    sobre el muro de la nada
    dejar grabada la emocion


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Miér 31 Ene 2024, 07:38

    QUEM LÊ O LEITOR?


    Affonso Romano de Sant’Anna



    Você pensa que está lendo esta crônica, mas está também sendo lido, não por
    mim, um cândido e ingênuo escriba crônico, mas você está sendo lido por
    instrumentos espertíssimos que vêm você e você não os vê.
    Calma. Não entre em pânico. Ou melhor: entre logo em pânico, pois a
    ingenuidade acabou. Primeiro com aquela maçã no paraíso. (Aliás, para ajudar a
    acabar com a ingenuidade paradisíaca, segundo o etnomicologista Gordon Watson,
    Adão e Eva se aproximaram da Árvore do Conhecimento e consumiram, não a maçã,
    mas um cogumelo alucinógeno).
    Continuo. Estamos sendo vigiados 24 horas, dia e noite. O que George Orwell
    , no seu “ 1984”, debitava a um regime comunista totalitário, agora tornou-se
    realidade graças à internet. Me explico melhor: a imprensa acaba de revelar que os
    hábitos dos leitores são pesquisados detalhadamente pelas grandes editoras
    eletrônicas. Mas não se trata mais, como no passado, de fazer uma enquete porta à
    porta para saber quais os autores mais lidos, quais as os gêneros preferidos. Isto é
    coisa do passado remotíssimo, antes de 1992, antes de Tim Berners-Lee criar a World
    Wide Web e tudo veio depois como um tsunami comunicacional.
    Hoje a Barnes & Nobles, a Amazon, e no Brasil, já a Saraiva e a Cultura
    sabem exatamente em que página você largou a leitura de um livro. Sabem ainda
    mais: sabem que trechos do livro eletrônico lhe interessavam mais pois você os
    marcou de amarelo enquanto ia lendo, e isto fica registrado.
    Existem aplicativos espiões que o leitor desconhece, mas que transmitem às
    editoras esses e outros dados seus de leitor. Com isto, as editoras tentam saber como
    seduzir aquele que compra e lê livros. Não apenas podem fazer estatística de quantos
    leitores abandonam a leitura de uma obra, mas sabem até em que página eles
    desistiram. Sabem também quanto tempo você dedica à leitura. E num futuro muito
    próximo saberão a cor de sua roupa, que comida você comeu em que parte da casa ou
    da cidade leu o livro.
    Não estou inventando nada. Estou somando essa informação dos jornais a uma
    outra (igualmente espantosa) que li no “Le Monde”: existe agora um modo de
    espionagem eletrônica que parece filme de ficção cientifica. Conseguiram criar um
    vírus/espião que entra no seu computador. Você não está sabendo de nada, mas ele
    está de olho em você. Não só de olho, ele vê o que você está fazendo e grava suas
    conversas, à sua revelia. Assim, se seu computador estiver no quarto ou na cozinha,
    vai trasmitir para alguém, o que ou quem você anda comendo.
    Acabou aquela era do espião que ia para o Cairo ou Amesterdã acompanhar o
    suspeito e tinha que o perseguir pelas vielas e cabarés. Acabou a era ( já sofisticada e
    recente) quando os homens da KGB, da CIA e o MOSSAD (isralaense) penetravam
    nas casas e gabinetes para botar “bugs”na parede, atrás dos quadros e telefones.
    Somos vigiadíssimos. Não só em Londres, onde existem milhares de câmeras
    pelas ruas transmitindo o que o cidadão comum está fazendo. Desconfio que nos
    supermerdados têm ( ou terão) câmeras para saberem o tempo que o cliente gasta
    diante de certos produtos, quais suas indecisões, que roupa usa, etc.
    Uma vez vi Michel Foucault dissertar na PUC/Rio ( 1974) sobre o panóptico:
    um sistema de vigilância nos presídios que permitia ver o que todos os prisioneiros
    faziam em suas celas. Bom, isto já foi superado: os presos nos vigiam e nos assaltam
    lá dos seus presidios.
    A sociedade do Deus Mercado ( esse Bezerro de Ouro bíblico) quer saber tudo
    dos clientes. Pois agora, essa devassa da vida privada, , chegou até ao ato da leitura.
    Ato que antes era íntimo, pessoal, solitário.
    Não sou contra o progresso. Em termos de leitura, vocês sabem, tenho até
    aquele livro –LER O MUNDO, cujo título fala por si. Mas não posso deixar de alertar
    o meu leitor que, de agora em diante, ele não é mais um simples leitor, mas um leitor
    que está sendo lido por outro leitor oculto.
    Resta saber se o leitor eletrônico que nos lê, está interessado na leitura ou
    interessado em nos vender algo. De resto, para acabar com qualquer eventual
    ingenuidade deixo com vocês uma frase que li há dias: se você está na internet e
    ninguém está tentando lhe vender algo, é sinal de que você é o produto.




    (Estado de Minas/Correio Brasiliense/22.07.2012)


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Mar 06 Feb 2024, 09:56

    Catando os Cacos do Caos


    Catar os cacos do caos
    como quem cata no deserto
    o cacto
    – como se fosse flor.

    Catar os restos e ossos
    da utopia
    como de porta em porta
    o lixeiro apanha
    detritos da festa fria
    e pobre no crepúsculo
    se aquece na fogueira erguida
    com os destroços do dia.


    Catar a verdade contida
    em cada concha de mão,
    como o mendigo cata as pulgas
    no pêlo
    – do dia cão.

    Recortar o sentido
    como o alfaiate-artista,
    costurá-lo pelo avesso
    com a inconsútil emenda
    à vista.


    Como o arqueólogo
    reunir os fragmentos,
    como se ao vento
    se pudessem pedir as flores
    despetaladas no tempo.

    Catar os cacos de Dionisio
    e Baco, no mosaico antigo
    e no copo seco erguido
    beber o vinho
    ou sangue vertido.

    Catar os cacos de Orfeu partido
    pela paixão das bacantes
    e com Prometeu refazer
    o fígado
    – como era antes.


    Catar palavras cortantes
    no rio do escuro instante
    e descobrir nessas pedras
    o brilho do diamante.

    É um quebra-cabeça?
    Então
    de cabeça quebrada vamos
    sobre a parede do nada
    deixar gravada a emoção

    Cacos de mim
    Cacos do não
    Cacos do sim
    Cacos do antes
    Cacos do fim

    Não é dentro
    nem fora
    embora seja dentro e fora
    no nunca e a toda hora
    que violento
    o sentido nos deflora.

    Catar os cacos
    do presente e outrora
    e enfrentar a noite
    com o vitral da aurora


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Mar 06 Feb 2024, 09:57

    Despedidas


    Começo a olhar as coisas
    como quem, se despedindo, se surpreende
    com a singularidade
    que cada coisa tem
    de ser e estar.
    Um beija-flor no entardecer desta montanha
    a meio metro de mim, tão íntimo,
    essas flores às quatro horas da tarde, tão cúmplices,
    a umidade da grama na sola dos pés, as estrelas
    daqui a pouco, que intimidade tenho com as estrelas
    quanto mais habito a noite!
    Nada mais é gratuito, tudo é ritual
    Começo a amar as coisas
    com o desprendimento que só têm os que amando tudo o que perderam
    já não mentem.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7
    Maria Lua
    Maria Lua
    Administrador-Moderador
    Administrador-Moderador


    Cantidad de envíos : 69622
    Fecha de inscripción : 12/04/2009
    Localización : Nova Friburgo / RJ / Brasil

    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Maria Lua Mar 06 Feb 2024, 09:57

    Limites do Amor
    Affonso Romano de Sant'Anna |

    Condenado estou a te amar
    nos meus limites
    até que exausta e mais querendo
    um amor total, livre das cercas,
    te despeça de mim, sofrida,
    na direção de outro amor
    que pensas ser total e total será
    nos seus limites da vida.

    O amor não se mede
    pela liberdade de se expor nas praças
    e bares, sem empecilho.
    É claro que isto é bom e, às vezes,
    sublime.
    Mas se ama também de outra forma, incerta,
    e este o mistério:


    – ilimitado o amor às vezes se limita,
    proibido é que o amor às vezes se liberta.


    _________________



    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Marialuaf


    "Ser como un verso volando
    o un ciego soñando
    y en ese vuelo y en ese sueño
    compartir contigo sol y luna,
    siendo guardián en tu cielo
    y tren de tus ilusiones."
    (Hánjel)





    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Luna7

    Contenido patrocinado


    AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937- - Página 5 Empty Re: AFFONSO ROMANO DE SANTA'ANNA (1937-

    Mensaje por Contenido patrocinado


      Fecha y hora actual: Dom 19 Mayo 2024, 01:16